воскресенье, 28 февраля 2016 г.

A Viagem Transiberiana. Pacote Básico. Lago Baikal.

Há pouco tempo um amigo do Brasil me pediu que lhe consultasse sobre a viagem Transiberiana mais econômica do mundo. Como eu trabalho com várias agências especializadas na viagem Transiberiana, então eu perguntei sobre as tarifas a uma colega, que costumava organizar os tours ao Lago Baical para os grupos de espanhóis... Trabalho muito com esses espanhóis em Moscou, lembro que eles são todos mochileiros e me passam a impressão de que fazem um turismo mega econômico.

As tarifas da minha colega resultaram ...chocantes! Eu mesmo com minha experiencia de gerenciar os tours em Moscou e São Petersburgo reconheço que as tarifas da "agência de mochileiros" são altas demais.

Acredito que a Viagem Transiberiana, a viagem para o Lago Baical, o mais profundo, o mais limpo e o mais antigo da terra, deve ser um tour muito solicitado e deve ser um tour bastante económico, porque de fato quase todos os trens da Rússia são transiberianos, há muita oferta!

É legal conhecer as cidades como Cazan (capital do Tartarstão, que fica no rio Volga, representando um mundo especial do islã russificado), Ecaterinburgo (a fronteira entre Europa e Ásia, onde se acabou a dinastia dos Romanov), Irkutsk (antiguíssima cidade da Siberia, fundada como uma prisão), é legal fazer um tour da Ferrovia de Circum-Baikal, mas não é legal pagar excessivamente!

Por isso eu consultei os preços dos apartamentos em cada cidade da rota, encontrei os guias locais, analisei os custos de passagens de trem na página oficial da RZhD e lhes apresento um pacote básico de sua Viagem Transiberiana mais econômica do mundo, calculada para 2 pessoas. 

Quanto mais pessoas formam o grupo, mais econômico sai o tour! Os preços podem variar um pouco em função da temporada (passagens de trens) e em função do baile da taxa de cambio. 

Consulte! Apresentação de Slides:

http://www.slideshare.net/VitalyLizov/a-viagem-transiberiana-pacote-bsico


среда, 24 февраля 2016 г.

os povos deportados unem os liberais, neo-nazistas e euro-comunistas

Um dos mitos negros antisoviéticos e como consequência anti russos é o mito da injusta Deportação de Povos na URSS. De grosso modo, segundo este mito, certos povos do Cáucaso (entre eles tchetchenos, ingushi), da Crimeia (tártaros) e das repúblicas bálticas foram deportados nas condições da Segunda Guerra Mundial por causa de sua "rebelião" contra o "regime totalitário de Stalin".

Celebrando os dias respectivos da deportação, os líderes das repúblicas étnicas costumam amaldiçoar o grupo governante da URSS no seu período heroico. Foram erguidos muitos monumentos que mostram a tragédia da "deportação injusta". Estes monumentos são uma base ideológica perfeita para causar, num futuro, o separatismo ou um purgatório étnico dos russos, porque os russos são "estalinistas inatos, sem dúvida". "Acaso não é uma bomba atômica baixo o predio da Rússia"?

O mito da injusta deportação é super popular tanto entre os liberais, como entre os neonazistas e euro-comunistas. A lógica deste mito é bastante primitiva:

1) Stalin igual aos piores czares, era um déspota e não podia passar nem um dia sem repressões, especialmente, durante a guerra. Stalin reprimia todos os povos da URSS, por isso são justificados qualquer ato de insurreição contra o "regime", deserção durante a guerra, colaboração de todos os níveis e o banditismo. Não importa as consequencias! A URSS de Stalin não deveria existir!

De tal jeito para os neonazistas todos os colaboradores ucranianos/russos/letonos/tchetchenos/tártaros, etc. do Terceiro Reich são heróis nacionais-socialistas. Para os liberais e euro-comunistas são heróis, que lutavam por sua "liberdade", contra o império (igual aos armênios na Turquia Otomana durante a Primeira Guerra Mundial).

2) Apesar de que o número das pessoas que participaram na "luta contra o regime" fosse "irrelevante", afirmam estes contistas, o "regime" aplicou o principio da "responsabilidade coletiva". Os povos foram deportados completamente... O direito moderno não pode aceitar este principio do direito tradicional. A responsabilidade deve ser somente individual!

Acreditamos que a construção deste mito como tal não aguenta crítica nenhuma. Mas vamos apresentar a opinião contraria:

1) É permissível a comparação do regime de Stalin com as monarquias estatistas do Ivã, o Severo, ou Pedro, o Grande. Ao mesmo tempo as repressões não foram arbitrárias e absurdas, tiveram sua lógica da conservação do estado nos interesses da maioria dos povos da Rússia/URSS. Além disso não se tratava de uma luta nacional libertadora das etnias sublevadas, senão deserção, banditismo e colaboração em massa com o inimigo.

2) A deserção, banditismo e colaboração com os nazistas entre os tchetchenos, tártaros da Crimeia, etc. eram EM MASSA (mas de 60% dos soldados tchetchenos, por exemplo), - afirmam os historiadores não tendenciosos. Se o "regime" de Stalin aplicasse o principio da responsabilidade individual, o governo deveria executar a maior parte dos homens das éntias em questão, o que seria um verdadeiro genocídio. Por isso a deportação dos povos completos, aplicação do principio da responsabilidade coletiva, foi a melhor solução, foi um jeito de salvar estes povos. Os povos deportados seguíam crescendo, os filhos desses povos não sofreram discriminação nenhuma no acesso à educação nem na ascensão social.

Por que os thetchenos ou tártaros da Crimeia desertaram em massa, preferindo a pilantragem e colaboração com os nazistas? Ninguém fala de sua "inferioridade étnica"! Simplesmente a tradição destes povos era pirata, havia ressentimento pelo choque da coletivização e a modernização soviética ainda não conseguiu liquidar nem essas tradições piratas nem esse ressentimentos até o inicio da Segunda Guerra Mundial.

P.S.

Não nos esqueçamos que o "melhor país do mundo", os EUA, também aplicaram, nas condições da Segunda Guerra Mundial, o principio da responsabilidade coletiva. Todos os japoneses étnicos, cuidadões dos EUA, foram internados nos campos de concentração devido a Pearl Harbor - eles não eram bandidos, nem colaboraram em massa com o Japão! Também os ingleses e os estadunidenses bombardearam Dresden e outras cidades da Alemanhã sem muito sentido prático, o que foi simplesmente uma missão punitiva contra o povo alemão (os anglo-saxões mataram 25-135 mil homens, mulheres e crianças lá). Os EUA atiraram 2 bombas atômicas contra o Japão simplesmente para aterrorizar o governo da URSS. Por acaso todos os 140 mil japoneses assassinados pelos EUA eram soldados do Japão? É o mesmo principio da responsabilidade coletiva.

Por que os presidentes do Japão ou da Alemanhã não amaldiçoam aos líderes dos EUA e da Inglaterra do período da guerra por seus crimes reais?

Por que os líderes dos tchetchenos, etc. na Rússia fazem isso pelos crimes inventados?

Moscou de 1961, visto com os olhos de espião

Pese a comentarios sarcásticos dos jornalistas dos EUA, podemos ver que os moscovitas de 1961 são muito abertos, tolerantes, despreocupados por seu "privace". Prontos de ajudar, compartilhar, entender.

O ano 1961. Um ano antes da Crise Caribenha. Os mísses nucleares dos EUA já estão na Turquia, visando Moscou. 

Desde 1945 já são desenhados muitos planes da eliminação física da gente soviética: “Totality”, “Pincher”, “Dropshot”, “Broiler/Frolic”, “Charioteer”, “Halfmoon/ Fleetwood”, “Trojan”, “Off-tackle”.

a festa do 23 de Fevereiro na Rússia

O dia 23 de Fevereiro é o Dia do Defensor da Patria. Primeiro, o Dia do Exército Vermelho e Frota, logo o Dia do Exército Soviético e Marinha e agora o Dia do Defensor da Patria.

Achamos que o Exército Soviético era o núcleo do Comunismo Russo. Lá em trincheiras da Primeira Guerra Mundial, se formou o sonho duma sociedade justa e sem castas. Somente graças ao povo armado por causa da Primeira Guerra Mundial, os bolcheviques conseguiram interceptar o poder do governo do capital estrangeiro (o governo provisorio do Fevereiro).

Na primeira etapa do Exército Vermelho, até foram eliminados os graus de oficiais e insígnias de ombro. A gente esperava uma revolução mundial e queria cortar os laços com o mundo antigo. O militarismo foi visto como um fenômeno temporário.

Não havia insígnias, mas claro que havia hierarquia militar e classificação de acordo com o nível de responsabilidade e qualificação profissional.

Em lugar da Revolução Mundial aconteceu a Mobilização Fascista do Ocidente. O Exército Vermelho restabeleceu os graus de oficiais e insígnias de ombro. De fato, o Exército restaurou a estrutura do Exército Imperial, mas o organismo da sociedade da URSS ficou socialista. Os soviéticos construiram uma sociedade-familia, cujo núcleo era o exército.

понедельник, 15 февраля 2016 г.

É possível stalinizar o neoliberalismo de Putin?

Em quiosques de Moscou, apareceram os calendários de 2016 "Stalin. A vitória será nossa!", abarcando os acontecimentos heróicos do período 1938-1945.

Há apenas uns 5 anos atrás, os "stalindários" eram extremamente marginais e agora estão na moda!

De forma que, agora, é muito simples imaginar um calendário com Stalin, decorando os escritórios de algum banco ocidental em Moscou, cujos agentes de cobrança costumam ameaçar seus devedores com a possibilidade de queimar seus filhos em caso de não pagamento das dívidas. Voltam as formas soviéticas, mas o conteúdo é totalmente diferente.

As imagens de Stalin vão ser penduradas ao lado dos ícones do czar Nikolai II (o Sanguinário). É muito possível que outras vizinhas do "Stalin" sejam algumas mulheres seminuas do estilo de pin-up. 

Que turma é essa!?

Uma eclética em lugar de uma síntese! Isso é para animar a plebe nos tempos de caída do nível de consumo. Isso é o último recurso do grupo governante. "O último refúgio dos canalhas".