среда, 1 мая 2013 г.

Instrução para a história russa


A Rússia, uma fronteira entre os mundos ocidental e oriental, foi submetida a várias conquistas: ocupação de mongóis (XIII-XV), cruzadas de cavalheiros alemães (XIII), ataques dos suecos/poloneses (XVII), etc. Entretanto, as agresões mais fortes foram a campanha de Napoleão que trouxe consigo mais da metade dos povos europeus (XIX) e a guerra de Hitler para o qual trabalhava e guerreava toda Europa (XX).


Como a Russia faz parte do Ocidente, o fator de epidemias não aparece nas conquistas da Rússia (que foi decisivo para as Américas), no nosso caso as vitórias sempre são uma questão de equilíbrio das forças militares, econômicas e espirituais. Os russos quase sempre ganhavam e assim para o século XX a Mãe Rússia passou de uma perifería mundial a um Ocidente alternativo.

Mas é lógico que os povos cujas agressões ficaram frustradas conservam nas suas ideologias os elementos russofobos, não é? 

Além disso depois de ter perdido a Guerra Fria ante EUA (outro pólo do Ocidente) a Rússia já não pôde resistir. A mitologia rusófoba esta activada por todas partes (principalmente na mesma Rússia).

Para um fascista da Espanha os russos são sub-humanos cegos de vodka e dirigidos pelos judeus.

Ao mesmo tempo para um judeu da Espanha os russos são anti-semitas ...cegos de vodka y dirigidos pelos fascistas.

De qualquer maneira todos se coincidem que os russos pelo menos devem ser bárbaros, que precisam de um patrocínio exterior (igual a qualquer colônia).

Imaginem que muita gente na mesma Rússia mesmo a nivel de governo pensa assim ("quinta coluna")! 

A crise de auto identificação dos russos é conveniente para os que querem aproveitar das riquezas do país rebelde.



redacção dos Perle Noire e vn (http://lang-8.com)

Комментариев нет:

Отправить комментарий